VEJA NOSSAS OBRAS



Veja aqui nossas obras selecionadas
por Estados brasileiros

 


Login
Usuário ou Email

Senha




Cadastre-se!
   

Visitantes
  
Usuários Online:
Membros:
0
Anônimos: 3
  


  

A Tribuna
Pintura 
Fortaleza da Barra ganha obra de Manabu

Da Reportagem

O desejo do artista plástico Manabu Mabe — falecido em setembro de 97 — vai ser realizado hoje, às 17 horas, com a inauguração de sua obra Vento Vermelho, na Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, promoção da UniSantos, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e Prefeitura Municipal de Guarujá.

Clique para ampliar a imagem

Compromisso com a realização da obra foi assumido durante sua visita ao monumento histórico em março de 97. Ele queria deixar sua pintura no local. Começou a trabalhar o esboço do projeto, mas infelizmente faleceu seis meses depois antes de vê-lo concluído.

  Sensibilizada, a família decidiu concretizar seu sonho, viabilizando a obra. Segundo sua esposa, Yoshino, que acompanhou o pintor durante sua visita à Fortaleza de Barra Grande, Manabu adorou o local e confidenciou-lhe: ‘‘Eu me empenharei muito para poder deixar minha obra neste lugar tão maravilhoso‘‘.

  Daí o empenho em seguir com o projeto, entregue juntamente com o primeiro esboço do quadro ao Atelier Artístico Sarasá, de São Paulo. O belo resultado vai poder ser visto hoje, quando o painel passa a ocupar a parede dos fundos da capela.

  O trabalho mede 20 metros quadrados e tem — como não poderia deixar de ser — a característica do pintor: a utilização de uma profusão de cores. Fiel ao seus estilo, o ateliê usou uma centena de cores e pedras de vidros, trabalhando com 350 mil peças (placas, pastas e pastilhas) para a montagem do painel.

  O mosaico tem um fundo escuro onde surge uma mancha iluminada, vento vermelho, rasgando sobre o preto, da esquerda para a direita, seguindo a luz natural que entra pela única janela do ambiente e se desfaz em cores e grafismos de Manabu Mabe.

  Arte premiada — Nascido no Japão, o artista plástico estava radicado no País há 10 anos. Exprimindo-se através da cor, ele tem obras expostas em museus por todo o mundo, como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Museu de Arte Moderna da Bahia, Museu de Arte Contemporânea de Boston, Dallas Museum of Fine Arts, Museu de Munique, Teatro de Tóquio, entre outros.

  Em sua trajetória recebeu diversos prêmios, destacando-se a Grande Medalha de Ouro do Salão Paulista de Arte Moderna, Prêmio Governador do Estado de São Paulo, Prêmio Braun na Bienal de Jovens de Paris, melhor pintor nacional na V Bienal de São Paulo, Prêmio Fiat na XXX Bienal de Veneza e Primeiro Prêmio na I Bienal Americana de Arte - Córdoba, na Argentina.

  No mês de julho, o conjunto de sua obra mereceu a inauguração do Museu Mabe, no Japão.

  Monumento militar — A Fortaleza de Barra Grande foi construída pelos espanhóis no século 16, sendo considerada o mais antigo e importante monumento militar do Estado.

  Tombada em 69 pelo Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Fortaleza ficou durante anos abandonada até que em 93 deu-se início ao trabalho de recuperação, através de Protocolo de Intenções, firmado entre a UniSantos, o Iphan e a Prefeitura de Guarujá. Atualmente, prosseguem as obras de restauração do monumento.

  Já a Capela de Santo Amaro da Barra Grande foi construída em 1742, projetada pelo brigadeiro Silva Paes, aproveitando as instalações da antiga Casa da Pólvora, depósito de armamentos que se transformou em espaço para meditação e que a partir de hoje vai guardar a última grande obra de um dos mais importantes abstracionistas brasileiros.


Voltar